Vai Resolver o Quê Mesmo?

Será que estamos sabendo escolher bem as nossas ferramentas? Será que automático é mesmo sempre melhor que manual?


Uma Ferramenta


Em algumas décadas, os automóveis passaram de sonho de consumo e modelo de transporte de países inteiros a ovelha negra do setor de transporte. Impulsionados por motores à explosão abastecidos, na sua maioria, por combustíveis fósseis, esses veículos foram responsáveis pela piora na qualidade de vida em médias e grandes cidades em todo o mundo.


Não se pode esquecer que o tempo que desperdiçamos na ida e na volta do trabalho é um indicador importante na nossa qualidade de vida. E após a revolução tecnológica prometida pela indústria automobilística, a inserção de mais e mais carros nas ruas das nossas cidades não reduziu o tempo que levamos para chegar ao trabalho. O que ocorreu foi justamente o oposto e se tornou aceitável, em algumas regiões metropolitanas, levar mais de uma hora para chegar ao trabalho devido aos enormes congestionamentos que passaram a ocorrer diariamente.


Outro efeito colateral que se manifestou sorrateiramente foi o aumento da poluição do ar e consequentemente o aumento no índice de doenças cardio-respiratórias, principalmente em crianças e idosos nas áreas de maior congestionamento de veículos. Doenças respiratórias como rinite, pneumonia, asma e bronquite. E doenças do coração como a aterosclerose (formação de placas de gordura nas paredes internas das artérias) que pode obstruir o fluxo do sangue no coração ou no cérebro e a hipertensão arterial, por exemplo. Também vale mencionar aqui outras duas formas de poluição: a poluição visual e sonora. Em uma rua movimentada de uma grande cidade, o nível de barulho atinge os 90 dB (A) facilmente, o que já caracteriza danos à audição humana se a exposição for prolongada. Além da perda auditiva, a exposição prolongada causa irritabilidade e letargia (um retardo nos reflexos), dois ingredientes que sozinhos já causam muitos problemas para as autoridades policiais de trânsito. Para fechar o item poluição, não podemos esquecer de como nossas cidades estão mais feias e mais quentes no verão graças as novas ruas e avenidas que foram construídas nos últimos anos. Se você não concorda, peça para um morador de uma grande cidade olhar para duas fotos, uma de um congestionamento qualquer e outra de um parque com muito verde e peça para ele escolher qual prefere. Aproveite para perguntar onde ele acha que está fazendo mais calor.


Liberdade sobre rodas?

Mas não acabou ainda. Se as pessoas estão perdendo horas sentadas dentro dos seus carros para chegar ao seu destino, também significa que muitas dessas pessoas não estão dedicando tempo suficiente para a realização de atividades físicas o que as coloca na categoria de pessoas sedentárias, o que traz sérias consequências para a saúde delas. Como se não fosse o bastante, também a segurança pessoal dos motoristas está em risco. No Brasil, a cada hora cinco pessoas morrem no trânsito vítimas de acidentes. Entre 2009 a 2018, 1,6 milhão de pessoas ficaram feridas, muitas com sequelas graves com as quais terão que conviver por toda a vida.


Ainda bem que a indústria automobilística está trazendo uma nova revolução para o Brasil: os veículos elétricos. Que novos problemas eles trarão? Serão mesmo capazes de resolver o problema da poluição ambiental? Serão esses veículos a nossa solução para cidades mais agradáveis no futuro?


Outra Ferramenta


Estas folhas que tanto nos incomodam.

Agora esqueça tudo que o que falei sobre automóveis. Imagine que você é proprietário de um lindo bosque com árvores das mais variadas espécies. O seu espaço é distante da cidade e portanto calmo e silencioso. São constantes os sons de pássaros na primavera e no verão, e o barulho da chuva e das folhas secas no outono e no inverno. Você gosta de cuidar do seu bosque para mante-lo bonito e saudável e no outono precisa lidar com a queda de folhas das árvores que se acumulam no solo. O que você vai escolher como ferramenta para realizar trabalho?


A Mesma História.

© 2020 by Calm Tech ®